MOC participou de reunião ampliada da RESAB

MOC participou de reunião ampliada da RESAB

30/11/2018

Aconteceu nos dias 29 e 30 de novembro, em Feira de Santana, na Pousada Central, uma reunião ampliada da Executiva Nacional da Rede de Educação do Semiárido Brasileiro (RESAB), que trabalha articulando a Educação para a Convivência com o Semiárido Brasileiro, sendo constituída por organizações que trabalham com essa Educação diferenciada para o Semiárido. O Movimento de Organização Comunitária (MOC) faz parte dessa rede e na reunião o
MOC foi representado através da técnica do Programa de Educação do Campo Contextualizada, Ana Paula.


O evento contou com a participação dos Estados da Bahia, Piauí, Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Sergipe,
e com a participação de entidades do Semiárido Brasileiro, dando inicio com apresentação e debate sobre Educação Contextualizada: realizações e perspectivas para a RESAB e seguiu com mesas temáticas sobre importância do fortalecimento e atuação em rede das organizações que atuam no Semiárido, principalmente com a Educação do Campo Contextualizada.

 

A reunião trouxe reflexões acerca do Projeto Pedagógico da RESAB com os debatedores Adelaide/CPT e Pinzoh/UNEB. Também aconteceu uma mesa temática sobre a análise da Conjuntura Atual: Desafios para a Convivência com o Semiárido e a Educação Contextualizada no Cenário de perdas e retrocesso das Políticas Públicas, com a palestra de Neidisson Baptista/MOC e Alexandre Eduardo/ UFPB.

 

Na palestra sobre atual conjuntura, Neidisson relatou sobre os retrocessos que estão acontecendo no país, os cortes de conquistas, direitos sobre a Educação e trouxe palavras de esperança para todos os presentes. ”Precisamos ter mais esperança, levar esperança e a história vai ajudar a gente. O Brasil já viveu coisas semelhantes ou até piores e saiu dessas situações, infelizmente voltou, mas já saiu. E a gente tem o papel de liderança, então uma palavra da gente de esperança na comunidade de agricultores, uma palavra da gente em um espaço público e nós temos a oportunidade de fazer a diferença’’, frisou Neidisson Baptista.

Durante a reunião, ainda criaram estratégias para combater todo o retrocesso na área de educação e principalmente se pensar numa linha de ação comum com todas as organizações para avançar numa educação de qualidade e bem como a definição de estratégias e ações diante da situação atual da política brasileira.

 

“ A gente teve um dia muito produtivo aqui em Feira de Santana, discutindo sobre as estratégias da educação para convivência com o Semiárido, fazendo essas reflexões sobre como os processos de educação podem contribuir para que cada vez mais as pessoas do Semiárido  tenham autonomia dentro dos processos produtivos, dentro do processo de escolarização, compreendendo os conteúdos que sejam significativos para a sua vida, aprendendo aquilo que realmente interessa para as pessoas que vivem no Semiárido, com mais qualidade de vida, utilizando melhor as tecnologias e desenvolver os produtos que elas precisam no seu dia-a-dia e que valoriza a identidade do nosso povo”, ressaltou Alexandre Eduardo.

 

A RESAB

A Rede de Educação do Semiárido Brasileiro (RESAB) é um espaço de articulação política regional da sociedade organizada, congregando educadores/as e instituições Governamentais e Não-Governamentais, que atuam na área de Educação no Semiárido Brasileiro, que busca contribuir para a implementação de ações integradas de educação, fortalecendo inserções de natureza política, técnica e organizacional, demandadas das entidades que atuam no nível local apoiando a difusão de métodos, técnicas e procedimentos que contribuam para uma Educação para a Convivência com o Semiárido.

A RESAB se propõe a sensibilizar a sociedade civil, os setores públicos, os formadores de opinião e os responsáveis políticos para uma ação educacional articulada em prol do desenvolvimento sustentável, dando visibilidade às potencialidades do Semiárido.

A entidade busca ainda contribuir para a formulação de políticas estruturadoras para o desenvolvimento do Semiárido a partir da intervenção no campo educacional, bem como monitorar a execução das políticas públicas nesta área.



Por Alan Suzarte

Programa de Comunicação do MOC.